Um cliché

A temática, ou problemática que hoje vos escrevo, nada tem a ver com a minha experiência “Bostoniana”, aliás tem é quase como que uma realidade omnipresente, à excepção de ALGUMAS zonas de África, Sibéria, Amazónia, e pouco mais, refiro-me à mais famosa rede social do mundo, o FACEBOOK!!

                            VS                          

A minha ideia não é aborrecer-me nem -vos, decidi escrever e gravar de certa forma este meu pequeno texto para a posteridade e porque a sociedade não para de “assapar” e não se sabe o dia de amanhã, se não veja-se: à 15 anos, pelos menos eu, nos meus 9 anos sonhava lá que iam exister redes digitais gigantes que ligavam Milhões de pessoas no mundo, e pior: que fosse vontade própria das mesmas se exporem por completo e com vontade e plena noção disso.

Atenção que se interpretarem isto como uma crítica comportamental, então podem criticar-me á vontade, pois eu também procedo de igual forma.

Ah e outra razão porque mando para aqui os meu bitaites, é que em 2027 se ainda por cá andar ainda me vou rir á brava com este texto,  se é que ainda hajam computadores como os conhecemos.

Quem deu permissão ao SR. Zuckerberg para implementar uma rede desta dimensão, ou pelo menos q atingisse a presente dimensão?

Então eu se quiser abrir um café, uma papelaria, algo que crie riqueza para me sustentar a mim e aos meus é um problema megalómano, como é que esta pessoa altera o mundo “de um ano para o outro” e não é confrontado com burocracias??? Alguém me explique.

Pior, faz biliões de dólares baseado nos utilizadores da rede, sem que os mesmos recebam nada, nem informados de efeitos secundários, pq existem.

Qual é o carácter jurídico de uma empresa como o Facebook? Que ramo de negócio ocupa, como faz a contabilidade?

E mais questões de enquadramento se fariam…

Agora a parte mais controversa, parando e pensando nunca nenhum outro fenómeno social teve tamanho impacto em tão pouco tempo! Na minha opinião deveriam ter sido estudados os impactos que uma rede social o Fb ou outras poderiam obter ou aliás estão a ter, as “gentes” não estavam nem estão verdadeiramente preparadas para uma invasão tão brutal. Ei, alguém que veja que o pessoal é humano, e os humanos sempre foram fracos de ideias, e depressa se levam por comportamentos de massas.

É que não vi nenhuma mente brilhante levantar-se e colocar o problema que pode nascer com a brutal “taxa de natalidade de users  diária” com as redes sociais, sei lá um filósofo trully inspiring.

Mentes brilhantes nesta temática só vejo uma, o Mark Zuckerberg!

Estamos a mecanizarmo-nos demais, diz a malta “ah e tal, mas é bom para ver pessoas que não vemos à muito tempo”, pois dizeMOS mal nós não as vimos, apenas olhámos para uma imagem que nos é dada por um conjunto de bites e megabites (Se for gigas melhor) que nos faz lembrar alguém que reconhecemos como sendo a pessoa q conhecemos outrora!

Em termos relaccionais o FB em vez de dar confiança às pessoas numa relação, visto estarem em permanente acompanhamento da actividade do parceiro, cria vício, obsessão, e funciona em sentido contrário, aumentando a ciumeira e limitando gravemente comportamentos.

Depois á a outra de querer-mos ser amigos de toda a gente, pensamos nós, amigos são aqueles que de quem sabemos o número de cor, os outros vamos vendo por aí na labuta lol, ou temos escrito numa agendinha para contacto quando necessário ou porque sim.

Até a nível empresarial não é justo para a pessoa que presta um bom serviço, digamos um senhor de 50 anos que é jardineiro, se nao souber manusear FB e outras, vai estar em desvantagem para com aqueles que dominam as novas técnicas. Mas alguém formou “os jardineiros” a manusear o FB? Onde estão as acções de formação para estas pessoas, que explanem sobre conteúdos e RISCOS? PArte da fortuna do Sr. Zuckerberg podia muito bem ser direcionada à formação, se não que não lhe fosse permitida a dimensão da sua empresa, ou então limitado o leque de utilizações de um “livro das caras”.

Se quiserem partlhar a vossa opinião, feel free.

Eu diria que o Facebook é Anti-Natura, mas vou utilizando e fico aborrecido pq o meu telefone custou 5 doláres e nem fotos tira muito menos me deixa entrar na minha conta de Fb.

Por falar nisso aí surge outraproblemática, quando aqui em Boston surgiu a necessidade de comprar uma telefone móvel e uma máquina para retratar a minha estada por terras de tio Sam. Nascimento de problemática:

-Um telefone bom, all-in-one (Chamadas, sms, video, camera, jogos, mp3, app)

-Um telefone, telefone de 5$, apenas um telefone + máquina fotográfica  (APENAS) de corpo e lentes!

Essa discussão de Prós e Contras fica para outro dia…

Beijinhos e abraços meus caros,

Ricardo Pereira

Anúncios

Let it snow

Meus amigos, é só para vos comunicar que ontem tive uma vista do meu quartinho brutal, caíu neve, não foi em Nova York, mas foi em Boston.

Foi de facto uma imagem muito bonita que preservo.

Ah, e o primeiro dia de trabalho correu muito bem, já conheci todos os funcionários do Consulado.

Mais notícias virão em breve, tá na hora do Vitinho, aqui a rotina semanal tem de ser mais “ordenada” =)

Beijinhos e abraços, e um obrigado aos meus “already followers” pelos calorosos comentários!

“I have a dream”

É com esta citação, de um notável líder – Martin Luther King Jr. ,que inicio o meu blog, ou melhor o meu espaço de partilha, no final de contas blogosfera=partilha, e tb por aqui quero estar presente.

Inicio este Blog apartir de Boston, quer dizer Somerville, uma cidade na periferia de Boston.

A citação que serviu de título ao meu primeiro artigo, não vem por acaso, não se trata de plágio nem de querer tirar algum protagonismo a quem a disse, aliás isso é impossível, e a minha vontade é ressalvar o valor de tal figura inspiradora. Sim, hoje foi feriado aqui nos States, memorial day of Mr. King.

Engraçado, essa pessoa tem como apelido King/rei, herança dos pais certamente e, se não foi realeza, viveu e lutou de forma “real” – minto de forma “imperial”. Representou de facto, e não sou eu que digo obviamente um importante papel para a raça negra, minto “pretos”, se de facto assumirmos a equidade racial, temos de chamar as “pessoas” pelos seus “nomes”!

Partilho com os meus amigos, um acontecimento importante na minha vida, visto que por aqui ainda não tenho muito com quem partilhar ,porque muito teria eu por dizer. Amanhã, inicio o meu estágio no Consulado Geral de Portugal em Boston, se estiverem interessados em saber como estou, digo-vos estou na boa! Vou dar o meu melhor, ou pelo menos estar disponível para isso, e que não deve não teme.

Espero que tenham gostado da minha iniciativa de entrar com os demais interessados.

Não queria deixar de mencionar que a minha vontade de partilhar esta experiência outbond com a minha namorada – SARA, foi o meu  principal “motor de arranque” e a minha inspiração. (Se ão gostarem do blog a culpa é dela) =P

E assim me despeço em forma de carácteres, em forma aúdio, vai de seguida, e porque hoje é feriado em honra a Martin Luther King, e a todos os castelo sque construiu, deixo-vos a malha “AfroCastles” – Battles.

Love you, a ti Xariti LOVE YOU

http://www.youtube.com/watch?v=E4qDVyzMSmU